Ser complexo

Ser... á?

... que vale a pena dizer a verdade?
... que cabe a sinceridade?
... que é melhor dizer?
... que é melhor saber?

Pessoas juram que sim...
... depois fingem que não.

Pessoas cobram que sim...
... mas nem sempre são.

Pessoas acreditam que dói menos...
... e quando dói, não sabem se tinham razão.

ŧ


Ser... ei?

Às vezes me canso de ser.
A vida nos obriga sempre a ser alguma coisa, ou alguém...
mas quantas vezes nos perguntamos: eu sou realmente quem eu sou?

Penso ser amigo, e me descubro um conhecido, um colega, um alguém.
Penso ser companheiro, e me descubro uma lembrança, um passado.
Penso ser claro, e me descubro mal-entendido.
Penso ser vivo, e me descubro inexistente.

Penso, logo existo... mas consigo existir, como eu penso?

Não sei dizer que sinto o que eu não sinto.
Não sei fingir que não sinto o que sinto.
Não sei perguntar “como vai?” por educação.
Não sei dizer que estou bem só pra ser polido.

Não sei pensar... a não ser como eu existo.

ŧ


Ser... ão?

Sou o tipo de pessoa que está sempre procurando os amigos pra saber onde estão, quando estão, como estão, por que estão, e etc...

e também o tipo de pessoa por quem (quase, sejamos justos...) ninguém procura pra saber onde está, quando está, como está, por que está, e etc.

Às vezes me pergunto... e se eu simplesmente desaparecesse, sem mais nem menos, nunca mais procurasse notícias de ninguém, será que alguém perceberia em menos de... sei lá, três ou quatro semanas? dois ou três meses? alguns anos?

E, se (ou quando) percebessem, quanto tempo levariam pra procurar saber onde, quando, como porquê?

Procurariam, ou não?

Saberiam onde procurar, ou não?

Leriam esse texto, ou não?

Talvez...

(quase, sejamos justos...)

...ninguém.

ŧ

Um comentário:

Srta. Cris disse...

Independente da distância q nos mantêm longe, sou sua amiga, aquela "borboletaelefante" q vc conhece muito bem. Que conversa as coisas mais... bobas! Que tenta ser TÃO intelectual QUANTO vc, sem alcançar um score aplausível de intelectualidade ;DD
Será?
Serei?
Serão?
Nós TODOS, unanimamente, um ser complexo, então SOMOS, SEREMOS, SERÃO complexos...
Se tudo fosse claro... o mundo seria fantástico!
Se todas as pessoas fossem transparentes como a água onde Narciso se "amou", a sociedade seria sem graça, sem mistérios p desvendar...
Então, a graça do ser consiste em ser complexo, embora, um pouco chato, mas é divertido desvendar outrem, outrens... e jogar de "eu sabia!, mas n queria dizer agora",
coisas do tipo...

a preocupação do "como vai vc" é tão despreocupante, q chega a ser previsível e clichê (vc já sabe q a pessoa vai soltar essa frase)...
a necessidade de se saber onde?, como?, quando?, por quê?, filosoficamente falando, é quase impossível n se usar tais pronomes interrogativos, a existência precisa deles p continuar sendo clara e complexa, ambígua...

vou ficando por aqui,
e vc tem minha "amizadistância" (eu e os meus neologismos, n repare!)
mil beijos na bochecha esq. e dir.