Eu sou

Só uma pessoa; uma pessoa, só.

Que anda pelo mundo todo, sem dar nem ao menos um passo;
E passa por todo o mundo, sem andar pelo caminho de ninguém.
Alguém muito maior que sua própria existência
E ao mesmo tempo tão ínfimo que nem ao menos parece existir.

Que fala demais sem dizer nada
Diz nada através de muitas palavras
Mas somente através do silêncio consegue realmente dizer tudo.
Mesmo que esse tudo muitas vezes não signifique nada.

Posso não ser aquilo que esperam de mim;
Posso esperar mais do que as pessoas querem ser;
Posso ver o que ninguém vê;
E não ver o que imaginam que vejo.

Mesmo assim sigo sendo quem sou
Mesmo sem saber se isso quer dizer algo ou não;
Ou se pra onde sigo, quem sou realmente importa
Ou talvez, não importe mais seguir, mas somente ser.

Não basta ser cego, surdo ou mudo,
Ou mesmo ver, ouvir ou falar,
Se não sabemos prestar atenção a nada
Além daquilo que não é.

Um ser que anda,
Uma “coisa” em forma de gente,
Um ser de outro mundo,
Ou um mundo inteiro sem ser.

Não importa, já não estou mais aqui,
Se é que alguma vez estive;
Estou em todo o lugar,
Procure e me encontrará.

Um comentário:

Chris Andrade disse...

nossa q profundo!!!

fala demais sem dizer nada, diz coisa nenhuma através de um monte de palavras (eh as vezes naum dá pra te entender..rs), e mesmo no silêncio ainda fala e diz tudo! (q coisa!)

podes naum seu aquilo que espero de ti, mas te gosto assim... me faz rir quando vc faz piada com tudo!

já tá mais q bom.. eu gosto de pessoas q me fazem rir!!!

bjo.

!!!!

lindo texto, viu? amei!